CANAL HAMAMATSU Portugues

Canal Hamamatsu Página Principal > Filhos > Disciplinar a criança

ここから本文です。

Update date:August 26, 2021

 Disciplinar a criança

Xixi e cocô

A chance para desfraldameto é de 1 ano e 6 meses a 2 anos.

Como iniciar & como estimular

Observar a frequência do xixi e cocô da criança!

  • Qual o intervalo que a criança costuma fazer xixi?
  • Quais os sinais da criança ao fazer xixi e cocô que apenas a mãe percebe?

Tirar a fralda e trocar pela cuequinha (calcinha)!

  • A criança sentirá a sensação desagradável do xixi escorrendo pelas pernas.

Incentivar de forma divertida!

  • É muito importante que seja um processo contínuo e diário com a mesma pessoa, no mesmo local.

Não insista mais que 3 min. Deixar para a próxima vez.

  • Forçar a criança traz resultados negativos.

Comemore! Elogiando muito ao conseguir.

Vamos descobrir o momento ideal.


xixi e cocô

Horários previsíveis que a criança costuma fazer xixi e cocô:

  • De manhã ao acordar;
  • Antes ou após as refeições
  • Após o sono diurno
  • À noite, antes de dormir.

Dicas

  • Vamos esforçar mantendo a calma e não punir.
  • Ao começar a esquentar (primavera a outono) conseguirá com mais facilidade.
  • Levará cerca de 6 meses.
  • Difere conforme a criança.

Xixi e cocô

Voltar ao topo da página

Chupar os dedos

Causas do hábito de chupar os dedos

  • Carência afetiva, de atenção (contato físico insuficiente).
  • Impedir de fazer algo. Ao ouvir “ Não faça isso!”
  • Atenção da família voltada ao outro bebê que nasceu .
  • Distraídas pela falta de amiguinhos para brincar.
  • Quando está assistindo TV.
  • Quando está com sono.

Nestas ocasiões, a criança costuma estar distraída.
Para criança que possui o hábito de chupar o dedo, vamos desviar a atenção para outras atividades.

Chupar os dedos

Vamos tentar os seguintes métodos

  • Introduzir atividades criativas e divertidas que a criança demonstre interesse. Brincadeiras que movimentam o corpo, os dedos, cantar, dançar juntos, etc.
  • Não deixar a TV ligada. Determinar o horário para assistir. Fazer companhia à criança.
  • Orientar com bom diálogo, explicar que é anti-higiênico, das consequências odontológicas, transformação da fisionomia, etc.
  • Movimentar-se bastante ao ar livre.
  • Atribuir ambiente propício para brincar com os amigos.
  • Responder com atenção às perguntas da criança.
  • Ficar ao lado até a criança dormir. Fazer leitura, conversar para tranquilizar.

Há várias formas de superar o problema.
Vamos iniciar pelo que é possível realizar.

Evitar:

  • Repreender;
  • Ameaçar;
  • Ridicularizar;
  • Castigar;
  • Forçar a deixar o hábito

Forçar a criança a deixar o hábito de chupar os dedos não resolverá o problema. Ocasionará efeitos opostos, podendo adquirir outros hábitos. Vamos atribuir o dia a dia tranquilo, divertido e saudável.

Outros hábitos similares

  • Roer as unhas;
  • Chupar, lamber os lábios;
  • Colocar a ponta de toalhas, lenços, lençóis e cobertores na boca e não largar.

Vamos tentar solucionar tentando os mesmos métodos de deixar o hábito de chupar os dedos.

Voltar ao topo da página

Aprendizado das palavras

Auxíliar no aprendizado das palavras  

Vamos dirigir as palavras adequadas no momento em que a criança esteja fazendo algo.
Exemplo: Ao comer alimentos gostosos, demonstrar na fisionomia que o alimento é “delicioso” e fale com entusiasmo: “Que delícia!!!”. Conversar sobre o que a criança está observando e o que está acontecendo, repetidamente.

Não diga “isto” ou “aquilo”, construa frases introduzindo o nome dos objetos.

Não utilizar expressões como “Este é aqui” ou “Aquilo não pode”. Utilizar frases completas e específicas como por exemplo: “Deixe os livros sobre a mesa”.

Conversar com pronúncia correta.

Por exemplo, quando a criança falar “shuco”, “bachu” o adulto deve corrigir para “que suco gostoso!”, “olha o ônibus!” . Não há necessidade de fazer a criança repetir várias vezes na pronúncia correta.

Criar muitas oportunidades para a criança tocar e observar vários objetos.

Vivenciando vários acontecimentos, desenvolverá a percepção da criança incentivando no aprendizado das palavras básicas, estimulando a imaginação e associar palavras com objetos.

Brincadeiras estimulam no aprendizado das palavras.

Para a criança, viver é brincar. Vamos criar um espaço na casa onde ela possa brincar livremente.

Contar historinhas mostrando livros e gravuras.

Vamos criar historinhas que desperte o interesse da criança, mostrando as gravuras.

Cantar

A criança assimilará a letra da música que a mãe cantar. Desta forma, aprenderá a composição das palavras.
Cantar é uma das formas de aprender a pronúncia correta.

Vamos entender o que a criança deseja falar e complementar.

Vamos repetir a fala da criança complementando apenas o necessário. Assim, assimilará várias palavras e começará a falar automaticamente.

Voltar ao topo da página

Cuidados que a mamãe deve tomar

Criança difere uma da outra

Assim como o desenvolvimento físico, o aprendizado da linguagem também difere conforme a criança. Não force. Vamos criar ambiente propício para elas desenvolverem a linguagem tranquilamente.

Não forçar a criança falar

Forçar a criança perguntando “Como se chama isto?”, “É um gato, não é mesmo? Fale ga-to!”, não desenvolverá o aprendizado da linguagem. Procure observar, no cotidiano, o que desperta interesse da criança, e ensiná-la naturalmente: “Ah, aí tem um gato, né!!”.

Não contradizer as palavras da criança.

Criança: “Meu papato (sapato)” Mãe: “Não é papato, é sapato!”
Quando isso acontece desestimulará a criança, após o esforço de pronunciar uma palavra, a mãe, ao invés de elogiá-la, contradiz. O ideal é repetir e falar: “Isso mesmo, sapato!”.

Converse respeitando o ritmo da criança.

Fazer a criança repetir continuamente a fala da mãe, desestimulará a criança falar e sempre esperará que alguém fale por ela. A mãe deve acompanhar o ritmo da criança e fazê-la sentir o quão é prazeroso conversar.

Voltar ao topo da página

Entendimento mútuo

Linguagem gestual

Quando a criança apontar com o dedo para algo, é palavra sem voz.
Apontanado com o dedo, a criança tenta se comunicar, expressando seu espanto e sua alegria como se estivesse falando; “Olha mãe, tem algo aqui!!”. Por isso, mesmo estando ocupada, é muito importante dar atenção à criança e procurar responder. “Ah tem um cachorrinho aí !!”.
Responder, conversar e cantar incluindo o vocabulário, estimulará a criança sonhar, imaginar e no aprendizado da linguagem.

Voltar ao topo da página